Lembranças de Desterro

Conte suas lembranças e estórias floripa...

10 comentários:

  1. Lembranças de Florianópolis. .


    Tenho vagas lembranças de Florianópolis quando criança, vinha a Floripa a passeio a, partir de 1966, quando vim para morar,é que a conheci melhor.Lembro-me do clube da Agronômica, do Miramar,enquanto bar e restaurante, do clube do Avai, no local do Shoppin Beira mar , da praia em frente ao campo do Avai

    ResponderExcluir
  2. Minhas lembranças de Florianópolis, confundem-se com as lembranças da infância vivida nas imediações da rua Crispim Mira, centro, nos anos 60, quando as brincadeiras de roda, o boi de mamão, os carros de cavalo, o carnaval na praça XV, o Miramar, as ruas estreitas calçadas de paralelepípedo, a praia de Fora, o rio da avenida, a ponte Hercílio Luz, a Catedral Metropolitana, as lojas A Modelar, o Ponto Chique, faziam parte dessa pacata cidade.
    Quando completei sete anos, mudamos para o Continente. De início tudo era estranho, pois o bairro era novo e todas as atividades do centro da cidade eram distantes. Aos poucos Florianópolis foi crescendo, desenvolvendo, e muitas coisas foram modificando.
    Tenho saudades da Florianópolis antiga! Mas amo minha cidade com as coisas boas que o progresso nos trouxe.

    ResponderExcluir
  3. Quando cheguei aqui há 15 anos à cidade era calma sem essa violência de hoje, num
    Belo domingo de sol fomos pra praia da armação como na época já não tinha faixa de areia resolvemos ir pra praia mole quando chegamos la minha havia esquecido a bolsa dela na pracinha ai peguei o carro e voltei com ela já fui avisando que tava indo à toa, mas pra nossa surpresa a bolsa estava no mesmo lugar que ela havia deixado.

    ResponderExcluir
  4. Morei 30 anos em um lugar chamado Fazenda que fica município de Biguaçu . Meu time de futebol era o figuerense mas a distancia dificultava eu assistir o jogo,por cohecidência vim morar no lado do figuerense no começo a rua se chamava rua do fato.depois eu construí uma casa maior mas perto do campo ,e no meu terraço eu assistia o jogo, hoje esta rua se chama Rua José Abreu. Minha paixão foi aumentando e o meu sofrimento também ,não perco um jogo é chuva é sol é dia é noite lá estou eu com minha camisa e meu boné ,acreditando torcendo e cociente que final do ano estaremos na sére a.

    ResponderExcluir
  5. Por morar no Continenre desde os 7 anos de idade, compartilho com o Adilson minha torcida pelo Figueirense, mesmo tendo familiares avaianos.

    ResponderExcluir
  6. Floripa Antiga

    No ano de 1969 quando a esta terra eu cheguei, vindo do Rio de Janeiro, encontrei uma cidade bastante provinciana.
    O comercio era basicamente local; não existia supermercado nem tão pouco grandes lojas.
    ]A ponte Hercílio Luz tinha seu leito feito em toras de madeira.
    No centro da cidade se destacava o movimento na rua Felipe Schimidt e a praça XV de Novembro.
    O caminho para o aeroporto passavasse pelo caminho do penhasco,saco dos limões, costeira; aonde existia uma ponte em madeira que só passava um carro por vez
    As praias de Coqueiros,Itaguassu e a do Meio, eram muito freqüentadas por banhistas.

    ResponderExcluir
  7. Lembranças de Florianópolis
    Cidade linda de coração.Anos 50 meu tempo de estudante.
    Poucas pessoas em relação a hoje,todos se conheciam.
    Encontros na Felipe Schmidt ,na Praça 15 (Figueira)e daí para o Instituto Estadual de Educação na Rua Saldanha Marinho onde eu estudava fazendo o Curso Normal

    ResponderExcluir
  8. Lembranças de Florianópolis.
    Tenho vagas lembranças de Florianópolis quando criança, vinha a Floripa a passeio a, partir de 1966, quando vim para morar,é que a conheci melhor.Lembro-me do clube da Agronômica, do Miramar,enquanto bar e restaurante, do clube do Avai, no local do Shoppin Beira mar , da praia em frente ao campo do Avai

    ResponderExcluir
  9. LEMBRANDO FPOLIS. ONTÉM...
    FLORIANÓPOLIS
    É necessário registrarmos a história do espaço que ocupamos para que não se perca dados de real importãncia para os futuros ocupantes e/ou estudiosos dessas áreas. Florianópolis , felizmente, tem dados importantes, mostrando as transformações advindas do progresso, assim considerado.
    Como aterros, construção das pontes ligando a ilha ao continente , construção de viadutos, rodovias, prédios públicos etc.
    Pessoas de cem (100) anos aproximadamente, em 2009, consultadas, afirmaram ter conhecido Fpolis., antes da construção da Ponte Hercílio Luz, e terem atravessado do Estreito para Florianópolis, utilizando barquinho que denominava de São Sino (ou São Sim). Na lateral , parte da ilha, havia um cemitério, e para concluão da ponte, houve a necessidade de ser transferido para Itacorubi, denominado de Três Pontes. Então, afirmaram que havia um jornal denominado Pasquim, que publicou a nota, como se os defuntos estivessem reclam ando o espaço, assim:” Pró cemitério das três Pontes, eu não irei, nem de carroça, nem de carro ou caminhão. Quem pobre for morreu nesta terra, encheu de bolor. O Cemitério na cidade é outra coisa, vendo o céu e o mar e também a lanchinha de são Sino a navegar. Quem pobre for, morreu nesta terra, encheu de bolor. autor desconhecido.

    ResponderExcluir
  10. vania - grupo Finlândia1 de junho de 2010 11:32

    Quando aqui cheguei, em 1977 tudo por aqui era muito calmo e pacato. O Mercado Público, o Senadinho, a Ponte Hercílio Luz, o no Calçadão da Felipe Schmidt. Agora está tudo mais aperfeiçoado em em evolução automática.

    ResponderExcluir